Buffer

3 - Epistemologia e seus Conceitos Básicos

Então, como ficamos?

Fatos

Fatos: são apenas os resultados de uma experiência bem controlada, baseada em causa-e-efeito. 

dados

Exemplos de fatos:

  • o fundo desta página é preto;
  • o valor da aceleração da gravidade neste local é de aproximadamente 9,81 m/s2.

Alerta-se, porém, que esses fatos não tem um caráter tão absoluto quanto o senso comum nos faz crer!

Vale lembrar do que discutimos sobre representações na aula 1, quando dissemos que os fenômenos, percebidos pelos nossos sentidos e interpretados (transformados) pela nossa mente, tornam-se imagens em nossa mente, como numa pintura.

Realidade e Percepção

Leis

Lei: é uma generalização indutiva de correlações entre fatos (veremos mais sobre indução e seus problemas em outra aula), frequentemente em forma quantitativa. A Lei não explica o fenômeno, apenas enfatiza e descreve regularidades observadas nos fatos. 

Lei - correlação de dados

A Lei é postulada pelo pesquisador. Tal como dissemos na aula Realidade e Ciência, os cientistas não descobrem as Leis da Natureza, nossas leis, teorias e hipóteses são criações humanas e serão tão boas quanto as previsões que fizerem, no sentido que correspondam bem aos fenômenos observados, que se ajustem bem aos dados. 

Tal como na metáfora de Whewell (apud MIGUEL; VIDEIRA, A distinção entre os “contextos”... ), a indução é como a composição de um cordão de pérolas: "as pérolas estão lá, mas elas não se unirão até alguém providenciar o cordão". As 'pérolas' são os fatos, e a união, ou coligação, destes depende do fio, que é a concepção. O 'cordão de pérolas' é a lei do fenômeno ou uma teoria causal que a explica.

 Fatos e Lei - colar de pérolas

Exemplos de leis:

Note, porém, que, como alerta Martins (2015), muitas vezes a lei não foi proposta pelo homenageado

Por exemplo, Avogadro não descobriu o Número de Avogadro e a 2ª Lei de Newton, F=ma, não foi formulada por Newton.

Por outro lado, a constante menção destas leis pelos nomes de seus homenageados, quase nunca acompanhada por elucidações históricas adequadas dos seus componentes científicos ou supostos autores, prejudica seriamente uma compreensão histórica da Ciência (MARTINS, 2015).

Exercício

O que há de errado com este gráfico, incluído num exercício de um livro didático de Matemática?

Gráfico errado

Infelizmente, gráficos falsos como este aparecem frequentemente em jornais e revistas, especialmente em publicidade, com o intuito de convencer o leitor de que as afirmações são embasadas em algum estudo pretensamente científico.

Gráfico publicidade

Regras ou leis, não têm eficácia causal; elas não "geram", de fato, alguma coisa. Elas servem apenas para descrever as regularidades e relacionamentos consistentes na Natureza. Esses padrões podem ser muito reveladores e importantes, mas os agentes causais subjacentes devem ser especificados separadamente (embora muitas vezes não sejam). (CORNING, 2002)

Teorias

Teoria: é uma tentativa ou proposta de explicação para os fatos, do seu porquê, do porque ocorre daquela forma.

A Teoria é ilógica, no sentido em que não se pode ser demonstrada lógicamente!

Teorias

Uma boa teoria deve não só se ajustar bem aos fatos e leis conhecidos, como deve predizer novos fatos e leis, ainda não constatados; e é a verificação dessas previsões é que vai dar ou tirar força da teoria. 

Portanto, da teoria, se podem derivar as Leis correspondentes, por dedução

Com isso, as Leis podem ser obtidas de duas formas: 

  • por indução, a partir dos dados
  • por dedução, a partir das teorias.
Teoria, Lei e Fato

Teremos uma discussão sobre indução e dedução na aula Racionalismo e Empirismo.

Mas, ao contrário do que costuma aparecer nos livros-texto, uma teoria não pode ser provada pelos fatos, conforme veremos na aula sobre o pós-positivismo de Popper.

Assim, por exemplo, é comum encontrar a frase 

"A evolução é tanto uma teoria quanto um fato

em livros-texto de Biologia. Será correta?

Enquanto isso, anti-evolucionistas proclamam que 

evolução é "apenas" uma teoria

argumentando que, se a evolução é menos do que um fato, não podemos ter confiança nela.

Novamente, fato é mais 'forte' do que teoria?

Do que vimos até agora, evolução é uma teoria no sentido científico do termo; é um modelo científico estabelecido que tenta explicar os fatos observados observações e fazer previsões através de mecanismos explanatórios tais como o da seleção natural. Tem sido muito criticada, tem sofrido várias modificações e, apesar disso, tem tido bastante sucesso nessa tarefa. 

E acredito que é por isso que muitos cientistas dizem que "a evolução é um fato",  usando o sentido cotidiano de 'fato', por vezes usado com pouco rigor, para se referir a um certo tipo de teoria que tem sido tão poderosa e produtiva durante tanto tempo que é universalmente aceite por cientistas.

Não considero adequado nem ético esse uso ambíguo e falacioso da palavra 'fato' pelos evolucionistas para se contraporem aos anti-evolucionistas.

Na verdade, justamente por não poder ser 'provada pelos fatos', ela está, sim, sujeita a ser 'desprovada' em algum dia no futuro, conforme veremos na aula sobre o pós-positivismo de Popper!

No entanto, isso não quer dizer que ela não valha de nada!

Dawkins - 'evolução é apenas uma teoria'?

Como muito bem argumenta Dawkins, "a gravidade também é 'só' uma teoria e não vejo pessoas pulado do alto de edifícios". Os mesmos anti-evolucionistas que a rejeitam por ser "apenas uma teoria" não se recusam a morar em prédios de apartamentos ou voar em aviões, construídos segundo conhecimentos que podem ser corretamente rotulados de "apenas teorias".

Tal como tantas outras teorias atualmente aceitas pela comunidade científica, a Teoria da Evolução é a mais bem sucedida explicação que temos, no momento, para os fatos observados!

E como fica a Matemática?

Como veremos na aula Pós-positivistas - Parte 1, numa crítica a Popper, Lakatos afirma que 

"Ainda que Popper tenha mostrado que aqueles que pretendem que a indução seja a lógica do descobrimento científico estão errados, estes ensaios pretendem mostrar que aqueles que pretendem que a dedução é a lógica do descobrimento matemático também estão em erro." (Lakatos, 1978, p.166)

Ex.: Teorias

No entanto, como vimos na aula Por que História e Epistemologia da Ciência?, os livros texto, em geral, apresentam a História da Ciência como uma marcha triunfante de sucesso em sucesso, suprimindo as [importantes] contradições que marcaram o seu desenvolvimento (ROBILOTTA, O cinza, o branco e o preto), obliterando teorias que foram científicas em certa época e foram, posteriormente, superadas, tal como, por exemplo, a Teoria do Flogístico, que, como veremos na aula Lavoisier e a Revolução Química, tinha um grande poder explanatório, o que muito contribuiu para sua sobrevivência.

O que você vê aqui?

O que você vê?

O que você vê?

O que você vê?

O que você vê?

O que você vê?

O que você vê?

O que você vê?

O que você vê?

O que você vê?

Aí eu divago, pensando se as 'Leis da Natureza' não seriam meros píxeis e se nos concentrando nelas, olhando-as muito de perto, deixamos de ver o todo que formam em conjunto.

Leis da Natureza

Por outro lado, os entusiastas de Big Data já falam no Fim da Ciência (ou pelo menos das teorias)!

Big Data é o Fim da Ciência?

Que Big Data é o 5º paradigma paradigma de pesquisa, superando o Qualitativo, o Empírico, o Normativo e a Simulação!

Big Data é o Fim da Ciência?

Veremos mais sobre isso na aula Cultura Digital.

Princípios

Princípio (pressuposto, postulado): é uma expressão de crenças e paradigmas. É algo que se acredita que seja verdadeiro ou que se quer que seja verdadeiro, mas não se pode demonstrar que é verdadeiro (senão seria um teorema), nem se testar (senão seria uma lei).

Ex.: Princípios

Dogmatismo

Acredita em verdades absolutas!

Dogma
"Se a única ferramenta que se tem é um martelo, tudo parece um prego". (MASLOW, The Psychology of Science, 1966, cap. 2, p. 15)
Dogmatismo

Conceitos

Conceito: é construído por abstrações, induzidas de observações particulares.

Ex.: verde, ouro.

Por falar nisso, você já viu a cor verde? 


Voltar à Parte Anterior


Voltar a Minhas Aulas.


Citar esta página:
dos SANTOS, Renato P. . In Física Interessante. 17 Apr. 2017. Disponível em: <>. Acesso em: .

Voltar ao começo desta página

Voltar à página principal de Física Interessante


e-books Grátis


View Renato P. dos Santos's profile on LinkedIn

Renato P. dos Santos