Buffer

12 - Diferentes Visões Epistemológicas
Pós-positivismo

Paul Karl Feyerabend (1924-1974)

Paul Karl FeyerabendFeyerabend, austríaco, doutorou-se em Filosofia e foi filósofo da ciência.

Estudou com Popper (visto antes).

Feyerabend logo desenvolveu uma visão muito crítica de Ciência, que ele rotulou de anarquista e dadaísta para indicar sua rejeição às regras.

Lakatos (visto antes) o convidou a escrever 'A Favor e Contra o Método' – Lakatos 'a favor' e Feyerabend, 'contra' –, prometendo que iam se divertir muito

Feyerabend & Lakatos - 'A Favor e Contra o Método'

… mas Lakatos morreu antes e, inicialmente, só saiu o famoso 'Contra o Método'.

Feyerabend - 'Contra o Método'

Para Feyerabend, não há regras metodológicas definitivas a serem seguidas pelos cientistas.

Em sua visão, o 'Método científico' limitaria o cientista

Por outro lado, para ele, o 'Método Científico' exclui o Homem e a investigação qualitativa.

Era contra o cientificismo, o qual via como uma 'religião científica'.

Pregava o anarquismo metodológico: por um pluralismo metodológico e de tradições.

Sobre a falácia d’'O Método'

"na prática, muitas vezes, o cientista procede por tentativas, vai numa direção, volta, mede novamente, abandona certas hipóteses porque não tem equipamento adequado, faz uso da intuição, dá “chutes”, se deprime, se entusiasma, se apega a uma teoria". (MOREIRA; OSTERMANN, Sobre o ensino do Método Científico)

Desta forma, a ideia de O método científico é uma falácia.

Para Feyerabend, a Filosofia não consegue prover uma descrição geral da ciência. Não haveria um método de diferenciação entre produtos da Ciência e entidades não científicas, tais como os mitos.

Afirmava que as 'regras' podem (e devem) ser quebradas pelos cientistas, se o seu objetivo é o progresso científico.

Para Feyerabend, exigir compatibilidade de novas teorias com as teorias já existentes deixa-as em desvantagem à partida!

Por outro lado, se é a nova teoria é compatível com as ‘velhas’ teorias, ela não acrescenta validade ou verdade!

Para Feyerabend, a escolha entre a 'nova' e a 'velha' teoria é mais estética do que racional.

Afirmava que não se pode descartar um 'apego' ao conhecido e confortável da 'velha' teoria.

Segundo Feyerabend, o sucesso dos cientistas envolve elementos não-científicos, tais como inspiração, mitos ou de fontes religiosas.

Para ele, não é justo utilizar suposições científicas para selecionar quais problemas merecem ser resolvidos e para julgar o mérito de outras ideologias, tal como propounha o conceito de paradigma de Kuhn, visto anteriormente.

Para Feyerabend, nenhuma teoria interessante é completamente consistente com todos os fatos relevantes

Assim, pode-se retirar certos resultados de cálculos e substituí-los por uma descrição do que é atualmente observado, tal como na renormalização.

E no caso de uma anomalia, como dizia meu professor, "corrige-se o gráfico ou arrisca-se ganhar o Nobel?".

Segundo Feyerabend, tais procedimentos são essenciais para o progresso científico por muitas razões.

Por exemplo, no tempo de Galileu, a teoria óptica não explicava os fenômenos observados pelos telescópios. Por isso, usaram regras ad hoc até disporem de suportes teóricos para suas suposições.

Incomensurabilidade de paradigmas

Para Feyerabend,

  • Incomensurabilidade não permite padrões gerais para avaliar a qualidade de teorias científicas
  • Comensurabilidade: significa 'tradução' de um paradigma em outro, o que, para ele, era inviável

Para Feyerabend, não há método científico universal. Com isso, conclui que não há justificação para a superioridade da Ciência sobre outras ideologias.

Para ele, a Ciência não merece o status privilegiado que possui na sociedade ocidental, já que não explica tudo!

Implicação para o Ensino

A Ciência deveria ser separada do Estado, da mesma forma que a Religião é.

Os pais deveriam poder determinar o contexto ideológico da educação de seus filhos, em vez de terem suas opções limitadas pelos padrões científicos. Deveriam ser permitidos debates científicos sobre o Criacionismo, juntamente com o Evolucionismo.

Afinal, segundo ele, o objetivo da Educação é a preparação de cidadãos críticos, de mente aberta.


Veja também estas páginas:

vídeo 'Filosofia em pedacinhos - Karl Popper'Vídeo Filosofia em pedacinhos - Karl Popper
Animação em francês com legendas em português, sobre Filosofia da ciência e o Racionalismo Crítico de Karl Popper, produzida na Universidade de Nancy (França).

Referências
ComplexidadeConheça, agora, a Complexidade e a Transdisciplinaridade.

Voltar à Parte Anterior


Voltar a Minhas Aulas.


Citar esta página:
dos SANTOS, Renato P. . In Física Interessante. 17 Jul. 2021. Disponível em: <>. Acesso em: .

Voltar ao começo desta página

Voltar à página principal de Física Interessante


e-books Grátis


View Renato P. dos Santos's profile on LinkedIn

Renato P. dos Santos